segunda-feira, 13 de maio de 2019

Mau Maria!

Então e não é que de repente e assim sem avisar, nem SMS, nem mail, nem telefonema, nada, chegou a época do biquini??
Então e como é que eu, depois de três meses a vegetar no sofá de perneta no ar, carregada de mimos em forma de gelados, chocolates, bolinhos e bolachas, vou caber no dito cujo ein?
É que nem que eu cosa a boca e divida uma folha de alface pelos sete dias da semana comendo-a com uma palhinha durante um mês a coisa vai lá de mole e balofa que estou.
Estou chateada pois estou que isto assim não vale, gaja que é gaja gosta de se apresentar sem papos nem peles, nem pança a sair do calção.
Para já, vou comprar um fato de banho tipo espartilho e depois só vou à praia lá para outubro depois de ter voltado ao ginásio e a pedalar e estar rija e fresca que nem um talo de couve.
Fui.
Fui ver a praia de longe sim, de perna atada e vestida...


Não vai ser fácil....




quinta-feira, 9 de maio de 2019

Já fui e já voltei

E mais uma anestesia geral na tola e um parafuso a menos cá estou eu.
Quinze longos dias mais sem praticamente me mexer, duche de saco plástico no pé, penso de três em três dias, papo para o ar de novo, portanto.
Depois, tirar os pontos e e fazer fisioterapia à bruta.
Graças à Deus né?
Ou vai ou racha.


Antes da faca já prontinho


Depois da faca todo f@dido



terça-feira, 7 de maio de 2019

A casa dos pássaros

Veio de longe e apaixonei-me por ela assim que a vi. Tinha de a trazer. Muito bem aconchegadinha dentro da mala, lá veio ela.
Alguns anos volvidos noutro lugar, finalmente coloquei-a onde deveria ter sempre estado, junto à buganvília bem perto da minha árvore gigante que alberga muita passarada durante a noite e de dia e até alguns ninhos.
Embora pequena para o melro e sua família, quem sabe se servirá para outras que se atrevam a ir investigar. Venha o sol para eu retomar a minha observação. Um olho no livro, o outro da casinha para a árvore e da árvore para a casinha.
Até já.


domingo, 5 de maio de 2019

Ponto cruz

Já fui prendada sim.
Há tanto tempo que já nem me lembro, só quando olho para estes quadros, os únicos que ainda conservo nas paredes, recordo essa fase da minha vida.
Bordei  o enxoval dos meus filhos bebés, fiz quadros, forrei cestos, pintei, decorei com todo o amor e carinho e muitas fitas e lacinhos.
Os bordados já foram substituídos por outro tipo de roupas e de tamanhos muito maiores, os quadros foram substituídos por posters e fotos, os cestos forrados por coleções de latas e isqueiros e bonés e ténis de marca xpto. As pinturas mudaram de cor, as fitas e os lacinhos desapareceram para sempre. E com eles a minha fase mais prendada, ficaram estas borboletas em ponto cruz.
E a palavra Mãe. O beijinho e o abraço de feliz dia da mãe.



sábado, 4 de maio de 2019

Spot



O dos dias em que está sol.
Isto, claro, além de beber gasolina e acelerar. Eu e as minhas muletas e a minha perneta, estamos sempre a acelerar sem sair do lugar
Estou praticamente capaz de matar o que quer que seja. Tirem-me daqui...



quarta-feira, 1 de maio de 2019

Apanhei-os!

O meu quadrado de céu tem-se apresentado lindo e de um azul intenso nos últimos dias. Eu e meu Zé, o gato,  eu ainda imobilizada e à espera de um certo chamamento para continuar a recuperação, ele gordo que nem um texugo e por isso custa-lhe trepar árvores, ali estamos nós, confinados ao nosso quadrado, passando parte das tardes a ler ao sol. 
A ler é como quem diz, eu cá, leio só com um olho, o Zé dormita apenas com um olho igualmente, pois estamos ambos obcecados pela árvore grande e pelos pássaros que vivem nela. Passamos horas a perscrutar a folhagem à procura de passarada. 
Foi quando reparei que os melros se habituaram a nós. O casal de pássaros vai e vem vezes sem conta, à vez, trazer comida com bastante confiança mesmo sabendo da nossa presença. Consegui apanhá-los numa verdadeira sessão fotográfica.
Não sei muito sobre melros mas aguardo ansiosamente ver os pequenitos a dar os primeiros voos.