terça-feira, 29 de Julho de 2014

Como os nossos filhos viram Marbella este ano

Fui de férias com outro casal que tem 2 filhas que com os nossos perfaziam 4 adolescentes.
Assim eles viram as coisas:

- Os carros e as casas de Marbella eram à "patrão abusado" enormes e maravilhosas com carrões à porta
- Havia muitos gajos "massudos" na Nikki Beach, com muita massa (muscular, claro) no peito e nos bícipes
- As miúdas inglesas eram todas umas "porquicholas" grandes, gordas e feias
- Havia bué de putos boiados pelas ruas, com bóias achava eu, mas não, andavam de botellon na mão e perdidos de bêbados, boiados portanto
- Por ali não se viram "carochos" nas ruas, os maridos das carochas, achava eu, afinal são aqueles drogados com mau aspecto
- Uma "Gay Summer Fest" era um ajuntamento de panisgas
- Onde não havia flores, o cheiro a esgotos era uma beca quifoso

As coisas que uma mãe aprende...

segunda-feira, 28 de Julho de 2014

Há locais curiosos na Espanha...




Mamading


"Mamading" é a nova moda das Baleares

Nacional Publicado por Jornal de Notícias 06/07-2014 @ 00:08
Chama-se "mamading" e é a última moda nas Ilhas Baleares, o mesmo lugar onde nasceu o "balconing". Desta vez, não se trata de saltar para a piscina da varanda do hotel, mas de fazer sexo oral em discotecas em troco de bebidas grátis.

É certo que estive por terras espanholas mas não nas baleares. É certo que estive bastante atenta. É certo que eu cá não vi nem ouvi nada mas não sei....

domingo, 27 de Julho de 2014

Impagáveis

Uma gaja adora viajar, passear, curtir e tudo e tudo, em suma, laurear a pevide por esse mundo fora, conhecer locais, pessoas, sabores, pôr o cu ao sol, beber uns canecos, fazer umas cenas diferentes e tudo o mais que o dinheiro e não só podem proporcionar, mas há coisas que são impagáveis e o regresso à nossa cama e à nossa almofada é uma delas... 
A minha almofada, mais para o espalmada é certo e que nem é para apoiar a cabeça mas sim para pôr a mão lá por baixo e empurrá-la contra a cabeceira da cama coitadita, manias parvas, eu sei... Mas caraças, a minha almofada e a minha cama são únicas no mundo, reconheceria ambas de olhos fechados se as colocassem num qualquer local do caraças mais velho lá para os lados de Santa Coisa do Assobio.
Impagável ainda é acordar estremunhada no dia seguinte ao regresso às 8h da madrugada, doidinha para pegar na bike e ir fazer uns arranhões nos braços e nas pernas por esses pinhais fora. E eu que estava a ficar com uns braços e umas pernas bonitinhas, assim para o normal, sem crostas...
Outra coisa impagável ainda, é ao abrir o portão, depararmo-nos com dois gatos deitados de pernas para o ar à espera de festinhas sabendo de antemão que éramos nós. A parte dos tufos de pêlo por todo o lado é outra conversa, mas tadinhos dos meus bichanos, cheios de saudades.
Pois é há coisas impagáveis...

terça-feira, 22 de Julho de 2014

E quando o mar dá pepinos?


Há poizé, hoje a pescaria rendeu e encontrámos um espécime deveras interessante. Primeiro parecia... como dizer isto sem ofender ninguém?? Bom, primeiro parecia um... cócó deixado no mar por alguém muito grande e muito aflito, depois parecia um pau , depois vimos-lhe os olhinhos e os picos e o gajo mexia-se. Depois de começarmos a gritar e a fugir, fomos a correr à net ver o que aquilo seria. Eis um Pepino do Mar: