terça-feira, 4 de agosto de 2015

Só para o estilo

Sim, porque ondas não há, fato não é preciso porque a água do mar está quente e eu não sei fazer nada com a prancha a não ser ficar dentro do mar agarrada a ela. Além disso tive de despir logo o fato que MaiNovo estava a chamar-me tola e cheio de vergonha. Anda uma mãe a criar um filho e a ensinar-lhe cenas e quando tenta que ele lhe ensine cenas a ela é isto...
Mas digam-me, tenho estilo, não? Não ok, eu perdoo-vos :)))



segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Querido diário

Reina a calmaria. 
Aqui onde me encontro, nada se mexe. O mar não mexe, o vento não mexe, eu não me mexo. Além da caminhada de 10 kms pela praia a ver as vistas logo de manhãzinha, nem consigo mexer-me o resto do dia, o calor é mais que muito e suga-nos as energias. Além de ficar de molho e quieta a ler à sombra é difícil mexer-me. No primeiro dia li um livro, no segundo li outro. Não tenho bike! Estou a ressacar.... Não tenho bike! 
Ontem a caminhada na praia, ao invés de ser para as praias do lado direito da casa, foi para as do lado esquerdo onde há uma praia de nudistas. Bom, a quantidade de saladas que havia para ali a badalar.... Giro, mesmo giro é ver homens e mulheres todos nus a jogar com as raquetes, há para ali coisas tão engraçadas aos saltos.... Também é lindo ver os homens a dormirem de lado com os tomates entalados nas pernitas, assim virados para trás e as mulheres a apanharem sol de perna aberta.... Lindo de se ver. Nada contra claro, a paisagem é um espectáculo. 
Ontem à noite estivemos a jogar as cartas e a beber gin's na varanda. Estavam 30 graus e as bichezas da noite morderam-me as pernas, os braços e tudo o mais que conseguiram. Escusado será dizer que não dormi a noite toda pois passei o tempo a coçar-me. Quase li outro livro e por isso estou meia azamboada da cabeça, nota-se? 
Bom querido diário, vou besuntar-me toda de protector e ver se vejo os gajos nus. Sei lá, para dar alguma ação aos meus dias de calmaria. Inté.



terça-feira, 28 de julho de 2015

Por onde andas Gaja Maria?




O Pablo Alboran espera-me!

Fiz-me à estrada. Fui ver os aviões




Sai de casa com uma banana no bolso e 5 euros. Eu, a minha bike e a minha música. Estrada fora... Fui ver os aviões.



A banana voltou para casa pois parei na praia e comi um pastel de nata na esplanada virada ao mar. 
3 horas, eu, comigo, a minha bike e a minha música. O mar e o céu sem fim.
É assim que eu limpo o meu corpo e lavo a minha alma.