sábado, 25 de Outubro de 2014

As corajosas tolas do Brasil Ride

Terminou mais uma edição do Brasil Ride Btt que andei a seguir desde o início.
Por ser uma prova mítica do Btt, por estarem lá portugueses a correr que ficaram bastante bem classificados e também porque participou um amigo que fizemos nos Açores. Mas do que vos quero falar é da coragem e determinação de duas tolas que participaram numa das provas mais difíceis e duras desta modalidade vejam bem, numa bicicleta "tamdem". A classificação não lhes interessava, nem podia, pois se aquilo é difícil numa bike normal e para os homens, imagino só duas mulheres numa bike de 2 lugares...  Nas fotos estão sempre a rir, parece-me que se divertiram imenso e animaram o pessoal por lá. Além disso deram uma lição a muita gente, estas tolas simpáticas, conseguiram chegar ao fim! Gosto delas.






Hoje foi dia de pedalar pela Missão 24



Missão 24 Correr pela vida é uma ação 100% solidária para a angariação de fundos para Unidade de Cuidados Intensivos de Neonatologia (UCIN) da Maternidade Bissaya Barreto (MBB).
Trata-se de um evento desportivo, aberto a TODOS, onde será possível correr, caminhar ou pedalar, em passadeiras e bicicletas estáticas.

Eu e maridão pegámos nas bikes e dirigimo-nos à Praça Rodrigues Lobo em Leiria onde demos o nosso contributo financeiro e pedalámos algum tempo dando o nosso apoio à causa, nas bicicletas estáticas que lá estavam para o efeito. Por vezes é preciso darmo-nos um pouco a estas causas tão nobres....

sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

No fim de contas, não é o amor que tem defeito

O amor é aquele sentimento estranho e contraditório que em certos momentos nos provoca um aperto no coração, que nos trás em constante sobressalto, em constante preocupação e ao mesmo tempo nos preenche cá por dentro, nos enche de felicidade, nos faz transbordar de alegria, nos enche de sorrisos e de gargalhadas. Até de lágrimas, o amor muitas vezes faz com que dos nossos coração brotem lágrimas, algumas de tristeza, outras de felicidade. O amor faz-nos bem querer, faz-nos esquecer, faz-nos lembrar. O amor faz-nos ter esperança, faz-nos acreditar, faz-nos fazer coisas incríveis. É o amor.
Mas o tamanho do nosso amor faz-nos querer reciprocidade, faz-nos criar expectativas, faz-nos esperar algum, ou até o mesmo amor que damos, em troca. É aí que o que se diz ou faz, bom ou mau, nos faz sentir a dobrar e por vezes não desculpar, não perdoar, porque a dor é tão maior. É por isso que temos de ter em conta isso do amor que temos por alguém, quando tomamos uma atitude, quando proferimos certas palavras. Não querendo, claro, com isto dizer que façamos e digamos o que nos der na real gana a todos por quem não nutrimos sentimentos porque tudo ou quase tudo acaba por nos ser perdoado. Há que ter sempre presente o quão podemos magoar uma pessoa, por vezes, nem que seja um desconhecido. 
Vejamos as coisas pelos olhos do outro... 
E eu, continuo a não gostar de ver pessoas que se amam a viver sem harmonia...

Liberdade

Liberdade do pensamento, liberdade da paz, liberdade do amor, liberdade!
Essa sensação indescritível...


Entendo... um pouco

Desconheço o que se passa com as pessoas e fico boquiaberta de ver que ao invés de viverem em harmonia, muitos irmãos, muitos pais e filhos, muitos maridos e esposas e ainda muitos amigos, ficam de costas voltadas e deitam por terra amizades, amores ou o querer bem de uma vida inteira por pequenas desavenças, mal entendidos, atitudes mal interpretadas e não entendo. Ou até entendo, há coisas que se dizem, há coisas que se fazem.. Só não consigo aceitar como é que se passa a vida a desculpar e perdoar atitudes e palavras de desconhecidos na rua, no trabalho, nas lojas, no transito e por todo lado e não se o faz com quem mais se ama.
Será ganância, será inveja, será ciúme, será ódio? Ou pelo contrário, será do sentimento, do bem querer, do amor e da amizade que no final de contas são assim, têm defeito?

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Como é?

Agora que já todos deram as suas sábias opiniões sobre mulheres normais a desfilarem  em biquini, agora que já todos defenderam ou atacaram esqueletos anafados versus esqueletos anoréticos, agora que se criaram correntes de apoio às mulheres menos dotadas de corpos de modelo, agora que as mulheres começaram todas à chapada umas às outras, umas porque acham que as mulheres são cabras umas para as outras e ter curvas e serem gordinhas é que é e outras porque não têm curvas e ganham muito dinheiro com isso e acham que ser gorda é ser relaxada, como é?? Já não precisamos todas de ser magras, não??
Yes!! Eu já venho, vou estar muito ocupada.....