sábado, 30 de agosto de 2014

Já não faço a coisa por menos

A "voltinha" de hoje deu a módica quantia de 105 kms...


Aqueles gajos ainda me matam... Hoje acharam que era o dia de fazer a rota das subidas míticas. Arrancámos de casa preparados para pedalar até às ditas subidas. Fizemos a da Curvachia, a do Soutocico, Senhora do Monte e Maunça. Tudo em Btt. Uf!! Subir é o meu nome do meio e se não é, vai passar a ser. Cada vez que me lembro das subiditas que fazia com a bike à mão quando comecei a pedalar há 3 anos.... Cada uma que conseguia fazer a pedalar era uma vitória e hoje consegui fazer várias seguidas sem desmontar. Isto só prova que querer é poder e com treino, muita vontade e algum espírito de sacrifício... somos capazes de mover montanhas, aliás, subi-las! E ainda rimos e brincamos, os meus compinchas são um espectáculo!
De seguida fomos até Fátima. O que nós pedalámos para ir a Santiago de Compostela e Fátima aqui tão perto. Foi hoje! Um local que nos faz... um aperto no coração, não sei porquê, mas é um local que me deixa assim...


Entretanto rumámos até à Pia do Urso para descansar e almoçar. Um local lindo de morrer, uma aldeia recuperada onde não me canso de ir, Visitem, vale mesmo a pena...
Começámos então a voltar para casa e alguém se foi lembrar da sandocha de leitão e do frisante que devorámos há uns tempos numa outra volta. Pois nem era tarde nem era cedo, foi pedalar muuiittoos kms para chegar até lá. Mas ai que me soube tão bem. O pior mesmo foram os últimos 15 kms até casa com o frisante e o leitão à briga na barriga...



Não importa, hoje e mais uma vez, ganhei anos de vida!


quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Credo que até brilham no escuro!!

Pois agora é que a porca torce o rabo e eu já não posso fingir que sou nova.
Eu bem os via a brilhar, mas achava que era das madeixas. Na dúvida, questionei cá por casa, diziam-me que eram loiros. Eu acreditava, claro. Tão queridos os meus homens, mas mentirosos. Uns grandes mentirosos, é o que eles são. Tenho afinal é um tufo de cabelos brancos e bem vista a coisa com os óculos ainda descobri mais uns quantos. Mas não pensem que se ficam a rir que já fui comprar uma trincha e uma lata de tinta. Estive na dúvida se havia de comprar de esmalte ou acrílica, mas decidi-me pela tinta plástica que dizem ser para tetos, nada mais apropriado, portanto. Ok que as rugas são de expressão e os cabelos brancos são genética, mas digam-me cá, a p@ta da idade é lixada, não?

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Se há coisas que uma gaja devia ter para todo o sempre e à fartazana..

Era tempo e dinheiro, vocês não acham?
Pois que tudo na vida é uma questão de opções e escolhas, nós já sabemos e se passámos o fim do dia de 6ª feira a fazer merdas de gaja, se andámos o sábado inteiro a pedalar, o domingo na praia e a noite num jantar, na segunda outro jantar e na terça a ver um filme até à 1 da manhã, é claro que o pó de casa se reproduz que nem pulgas e as paletes de roupa para lavar e passar crescem como se tivessem vida própria. Mas eu sei, porque sei, que isto com tempo e/ou dinheiro, resolvia-se tudo que era um instante. Filha da mãe de sina a minha.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

E eu a achar que já tinha visto de tudo

Eis senão quando, surgiu a moda dos banhos públicos e o Facebook ficou minado de cenas de banhos, umas hilariantes, outras mais sérias, outras tristes que só elas... Ontem quase me babei de espanto ao ver o video do banho público de uma conhecida que começa com uma cena de striptease, continua com um corpo desnudo e de peles descaidas e termina de mamas à mostra com o biquini a cair com a força da água...
Ó pá! Poupem-me|! Paguem masé lá os jantares ou façam donativos à associação, mas poupem-me destas cenas tristes..

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

As ingratas

Sou moça que gosta de bichos. Gatos, cães , coelhos, porquinhos da índia, tartarugas, peixinhos, mas pera aí! Não, não me falem em tarântulas, cobras ou iguanas, por mais amestradas que sejam que eu gosto é de bichos assim para o normal. Só há um bicho exótico que eu gosto que é o bicho homem, de resto sou bastante normalzinha  no que toca a bichos. Mas adiante, que eu não sei o que é que uma coisas tem a ver com a outra, mas também gosto de flores e de plantas. Tenho algumas vai para cima de 500 mil anos e ate lhes ganhei afeição, mas vai não vai falece-me uma. Recentemente já me faleceram três e fiquei deveras enervada pois vi-as tristonhas e reguei-lhes as patinhas, coloquei-as em terra nova, fofa e com adubo, conversei com elas e mandei-as para o spa. Ainda assim, resolveram falecer-me, as ingratas.  Acho até que têm andado a conversar umas com as outras e decidiram-se pelo suicídio colectivo, sendo que tenho mais duas em estado periclitante. Uma pessoa a cuidar delas todos estes anos com tanto amor e carinho e vai... Resolvem falecer-me, as parvas.  Acho que vou mas e dar continuidade ao ancestral e sábio provérbio: "corte raso, sementeira nova".
Agora faleçam-me vocês também que vão ver!!

sábado, 23 de agosto de 2014

E para não perder a embalagem...

Os meus compinchas da viagem a Santiago de Compostela gostaram tanto que hoje partimos para mais uma aventura. Arrancámos da Nazaré sempre pela costa e em Btt a subir e descer montes. Parámos em S. Martinho do Porto para o pastel de nata, parecíamos umas aves raras despertando a atenção de todas as pessoas que por ali andavam. Umas nas esplanadas, outras na praia, outras a passear e nós a pedalar, cheios de pó mas felizes e sempre a rir na brincadeira uns com os outros. Seguimos pela Foz do Arelho direito a Óbidos e subimos ao castelo, entrámos nas muralhas e percorremos a rua principal. Cada vez mais sujos e pegajosos, as pessoas estranhavam-nos e nós a curtir. Fomos voltando para trás por caminhos diferentes e voltámos a parar na Foz do Arelho para almoçar. Que bem que me soube a bela da sardinha!


Quando eu digo subir montes e vales é mais ou menos assim


E tenho de vos dizer, vale a pena descobrir o nosso Portugal e subir, subir, subir e ficar cansada e cheia de pó...


Bom, ao fim de 84 kms o raio dos gajos fizeram-me subir um caroço que não vos digo nada, pelo caminho apeteceu-me matá-los, mas em chegando lá...


Estava este moinho...
E de costas para o moinho, víamos isto...


E a  aventura terminou, muitas horas depois, após ter marchado uma fartura quentinha na praia da Nazaré e ao fim de 95 kms.



sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Como viajar em sendo um teso - IV e último

Posso dizer-vos que já fui a muitos sítios e por exemplo quando fui a Paris, todas estas dicas me valeram um plafond para 2 bilhetes para o Moulin Rouge (que comprei com desconto na net) e quando fui a Istanbul, deu para um espectáculo de dança do ventre. Uma vez fui fazer um cruzeiro no Mediterráneo que partia de Barcelona. Comprei-o 6 meses antes na promoção inicial e ainda negociei porque éramos 6 pessoas. O desconto que obtive deu para ir 2 dias antes e passar o fim de semana em Barcelona... 
Sei que leva tempo e dá trabalho fazer todas estas pesquisas e por vezes arrisca-se um pouco nestas compras online, mas eu, felizmente nunca tive problemas e só assim tenho conseguido viajar para locais maravilhosos. Neste momento tenho um destino já preparado para Outubro, ainda não é Praga, onde quero muito ir, mas esse destino é bastante caro para mim neste momento. É uma ilha maravilhosa onde ainda não fui. Já comprei os voos e desta vez aluguei um carro. Falta o resto mas ainda tenho tempo.
Vá, digam lá que não sou vossa amiga.

Como viajar em sendo um teso - III

Continuando...

Algumas sugestões:

  • Escolher uma data dentro de alguns meses, que por ser tão antecedente, poderá ser flexível e adaptável às melhores tarifas e promoções
  • Escolher o destino por prioridades, gostos ou preços
  • Fazer várias simulações para voo e/ou voo+hotel em vários sites e em várias datas. Quanto ao hotel, interessa que esteja perto de praças com metro ou autocarro ou comboio e que tenha pequeno almoço incluido para se fazer uma bucha para levar :-). Ver classificações do mesmo nos sites de hoteis, fotos, opiniões de utilizadores, etc. Quanto ao voo, ter em conta se é directo ou não e qual a companhia. Há mais baratas e mais caras.  (Posso dizer-vos que já comprei bilhetes a 20,00 €)
  • Escolher então, comprar e pagar o voo uns meses antes. Fazer a pré-reserva do hotel e uns 2/3 meses antes, confirmar e pagar e assim, sobra ainda algum tempo para preparar financeiramente o resto dos gastos.
  • Sobram também alguns meses para pesquisar e planear sítios que queremos visitar, quais os melhores e mais baratos transportes, museus, espectáculos, restaurantes e outros locais de interesse. Quando visitamos uma cidade, sempre compensa comprar bilhetes para os autocarros panorâmicos. Percorrem toda a cidade, param nos pontos de interesse e pode-se sair e entrar quando e onde queremos. Se tivermos estudado a cidade, não falha nada.
(continua)

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Como viajar em sendo um teso - II

Podemos sempre:

  • Em vez de uma semana, ir só 3 ou 4 dias
  • Viajar no outono ou primavera e fora dos feriados (é muitos mais barato nestas alturas)
  • Evitar as agências de viagens e os pacotes que elas têm e fazermos nós próprios o trabalho de pesquisa, planeamento e compra
  • Prescindir de um quarto de hotel de 4 ou 5 estrelas
  • Prescindir do aluguer de um carro e andar de transportes
  • Evitar os roteiros criados propositadamente para turistas que são sempre mais caros e criar os nossos próprios

Claro que aquelas promoções apetecíveis de última hora para preencher lugares são sempre óptimas aquisições, mas isso pressupõe uma disponibilidade de tempo e dinheiro imediatos, o que não é o caso, right?
Por isso, nada como preparar a viagem com tempo e por fases. Experimentem e vão ficar surpreendidos com as pechinchas que se encontram.

(continua)

Como viajar em sendo um teso - I

Tal como eu e por coisas cá das nossas vidas e da vida deste país merdoso, muita gente da classe média que gosta de viajar, deixou de o poder fazer porque os Euros ficaram curtos e não esticam, até pelo contrário, encolhem e de que maneira!
Mas quem ainda assim mantém o bichinho de viajar aceso, pode sempre alterar um pouco a situação e criar algumas alternativas para poder fazê-lo.
Ora vejamos:
Antes de mais, é pensar mil vezes antes de comprar mais uns sapatos ou mais um trapo ou qualquer outra merdice supérflua, pois viajar está para os tesos, assim como brincar aos pobrezinhos está para os ricos, um acto de loucura, e por isso, há que pensar muito bem se o que queremos é mesmo privar-nos de muitas e certas coisas para poder viajar. Há que fazer opções, portanto.

(Continua)

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Como eu vi "O Caminho" - a chegada

E lá partimos de manhã muito cedo com direcção a Catedral de Santiago de Compostela, nossa última etapa. À medida que nos aproximávamos a quantidade de peregrinos aumentava e não parávamos de dizer Bom dia, Olá e Bom Caminho.   Nesta fase final havia muitas pessoas com cara de sofrimento, cansados, transpirados, a coxear, e a andar muito devagar. Era afinal o acumular de alguns dias e muitos kms. No nosso caso, que começámos no Porto, foi um total de 264,5 kms. 
Eu, estava ainda mais determinada pois via aproximar-se o meu objectivo. Apesar de cansada, suja, de rabo dorido e pernas amassadas, foi o dia em que pedalei mais depressa. O Objectivo era chegar lá pela hora de almoço para podermos desfrutar do local antes do regresso a casa de carro. Pelo caminho voltámos a encontrar o casal alentejano que tínhamos conhecido no dia anterior e lá fomos a tagarelar todo o caminho.
Após a última subida para a catedral, chegámos os 6 à praça da catedral exactamente à 1 da tarde. Foi lindo, foi mágico ver aquela praça repleta de pessoas, umas a  descansar deitadas no chão, outras a tirar fotos, outras a abraçarem-se e a cumprimentarem-se felizes com a chegada. Bom, a catedral, já lá tinha ido, mas era criança e não me lembrava de nada, é linda e estava repleta de gente de muitos locais do mundo. Cusquei tudo quanto era canto, só não abracei o Santo pois as filas eram intermináveis e estávamos esganados com fome. Na fila para o carimbo final das credenciais e recepção do "diploma" com os nossos nomes em latim, havia dezenas de pessoas com ar cansado mas feliz, tal como o meu. Os sorrisos e as conversas falavam por nós.
E lá chegou ao fim esta aventura mágica, este desafio que não podia deixar de cumprir. 
Acho que vou voltar..



Como eu vi "O Caminho" - dia 2

Diziam ser o mais difícil. De facto houve uma enorme subida de um monte onde era impossível pedalar e tivemos de carregar as bikes às costas, mas o espírito de entreajuda dos meus companheiros de viagem e ainda de alguns peregrinos que viajavam a pé e me ajudaram a transpor aquele obstáculo, tornaram este momento indescritível. Todos se cumprimentam, trocam-se saudações, palavras de ânimo. Isso e a beleza das paisagens foram dos pontos altos deste Caminho. Os cânticos continuaram a ouvir-se por aqueles montes fora e os peregrinos eram mais que muitos e de muitas nacionalidades. Íamos parando para tirar fotos, comer, confraternizar com as pessoas e carimbar as nossas credenciais de peregrino. A maioria dos peregrinos iam a pé, alguns grupos iam de bike e até alguns a cavalo. Atravessámos aldeias, cidades, montes, pomares, vinhas e até alguns riachos. Muitas estradas romanas em pedra, vias rápidas, estradões, subidas sinuosas e descidas complicadas... O meu maridão empurrou-me algumas vezes, quando o caminho se complicava, foi incansável. Primeiro dizia que estava ali por mim, para me ajudar a realizar este sonho, que aquilo nem significava assim tanto para ele, mas agora já fala em repetir, adorou cada minuto o que me faz muito feliz.
A 2ª etapa terminaria em Pontevedra, mas os alojamentos estavam à pinha e ficámos a 14 kms, em Arcade, onde jantámos uma paella divinal. Ainda passeámos pela ria onde encontrámos portugueses a pescar. Foi engraçado.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Como eu vi "O Caminho"

Um pouco difícil em alguns momentos sim, mas muito belo e muito mágico em todos os outros. E agora que o fiz, que consegui cumprir mais um objectivo a que me propus, sinto-me muito mais forte, muito maior, muito mais rica no meu interior. Tenho o coração cheio daquilo que vi, daquilo que passei, daquilo que senti...

Dia 1
O mais difícil para mim, pois arrancámos do Porto já passava das 10 da manhã por causa da credencial de peregrino e pedalámos durante longos 108 kms (fizemos um pequeno desvio para passar num sitio que nos tinham recomendado), muitos deles por estradas e a subir. Ainda assim, adorei pedalar cada km.  Adorei atravessar o Porto de bike, cidade que praticamente não conhecia. Tenho de voltar lá com tempo.
O percurso está muito bem marcado e quase de 100 em 100 metros encontramos setas amarelas ou o símbolo da concha da vieira desenhados nos postes, nos muros, nas estradas, Não há que enganar e O Caminho passa por montes de igrejas e outros monumentos religiosos de grande beleza, assim como as paisagens são de cortar a respiração.
Pelos vistos este fim de semana foi muito fértil no que toca a festejos e por aqueles montes e vales ecoavam cânticos, bandas filarmónicas, foguetes e música pimba. Cada cidade e aldeia que atravessávamos tinha a sua própria música, as suas ruas engalanadas e as suas pessoas vestidas para as festas. Com o eco dos montes, os sons misturavam-se e faziam-me sentir um friozinho na barriga.... À medida que íamos passando, imaginei-me na pele de cada uma daquelas gentes. Como já partimos muito tarde quase não encontrámos peregrinos, mas a chegada a Ponte de Lima surpreendeu-me, havia dezenas deles pelas ruas. E mais uma cidade em festa que quase não arranjámos alojamento, estava tudo cheio e pagámos uma pequena fortuna para pernoitar. Valeu no entanto a pena, pois Ponte de Lima é mais um local onde tenho de voltar com mais tempo, do que vi, é um lugar lindo.

sábado, 16 de agosto de 2014

terça-feira, 12 de agosto de 2014

De volta de uns preparativos muito especiais...

Sim, a preparar a realização de um sonho que acalento vai para 3 anos, altura em que comecei a fazer Btt.
Parece-me que é desta que se vai realizar, espero que com sucesso, pois estou um pouco adoentada.
Quinta-feira depois do trabalho arranco para o Porto onde vou pernoitar e na manhã seguinte, eu, maridão e dois amigos das pedaladas iniciamos a nossa viagem de bike com partida na Sé do Porto e até Santiago de Compostela, O Caminho português! Serão 3 dias, cerca de 250 kms a pedalar em pleno mês de Agosto, é loucura, eu sei, mas estamos determinados que vai ser desta. Se tudo correr bem, talvez para a próxima o façamos partindo de Fátima, mas por agora assim será e já não vai ser fácil.
Pesquisas a fazer, coisas a pensar e a preparar para que nada falhe, há um monte delas e esta ida a Santiago será a primeira para cada um de nós, certamente uma experiência inesquecível. 
Oxalá seja uma boa experiência. 


domingo, 10 de agosto de 2014

Algures por aí

Uma Gaja vai acampar 2 dias e não tem parança! 
Bebe umas jolas na esplanada do rio e confraterniza com os amigos


Dá uns mergulhos na cascata com os putos


Fica de molho no rio


E de papo para o ar na relva a olhar para o céu ...


E vai nas duas manhãs subir e descer serras...
Foram kms e kms a dar à perna é certo, que à noite, depois do vinho do jantar e da "caipirana" (caipirinha com licor de mirtilo ou de cereja, ou ginja.., sim, modernices que eu quis provar e é mesmo bom!) não havia nada que me fizesse parar de bocejar de cansaço e de sono), mas as paisagens de cortar a respiração, as aldeias pequeninas lá em baixo, a sensação de estar no topo do mundo, mesmo rente ao céu e a furar nuvens... É indescritível.
E depois de tanto subir, claro, vêm sempre as descidas malucas. Foi a loucura! Já nem me lembro da trabalheira que foi montar e desmontar todo um acampamento para 2 dias...

sábado
domingo






sábado, 9 de agosto de 2014

Nas nuvens

Algures na Serra da Lousa não sei muito bem onde. Nem sei muito bem para que lado fica o rio, para onde tenho de ir. O que eu sei é que subi 20 kms para aqui chegar.... Ui! Mas cheguei às nuvens....


quinta-feira, 7 de agosto de 2014

E ainda dizem que o amor e uma cabana é lindo e maravilhoso...

Qualquê? Chegou a hora do maravilhoso, fantástico, super divertido e radical acampamento anual com os meus amigos e a filharada, algures num parque do interior de Portugal perto de um rio. Serão 2 dias e 2 noites! Tenho andado toda a semana a fazer listas das merdas que vou precisar e já comecei a amontoar as cenas na garagem. Temo que na hora de as carregar e partir, vou precisar de um camião TIR com atrelado, para já não falar da parte de montar todo um estaminé ao estilo casa da Barbie na 6ª feira à tarde, desmontar tudo no domingo e chegar a casa, limpar tudo e arrumar para ficar pronto para o ano que vem...
Ainda por cima, diz que o tempo vai estar uma bela merda. Valha-me a bike, que ainda não sei como a vou levar. No atrelado do TIR, talvez... Outrora em pulgas para este acontecimento, este ano não estou grandemente entusiasmada, preferia mil vezes pegar na bike e nos alforges e andar por aí a laurear a pevide.
Quer-me é cá parecer que estou a ficar uma cota ranzinza (é assim que se escreve?) que não quer nada que a incomode. Ou isso, ou estou a ficar anti-social, não sei...

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Só pode ser um sinal

Segunda-feira! Uma gaja vai para o trabalho em piloto automático e ainda a dormitar. Tem uma dor de costas que mal consegue respirar, maridao anda a falhar nas massagens. Olha pelo retrovisor e verifica que as tesouradas que deu na franja bom, parece uma Toina, e de repente numa aldeia que atravessa, abre um olho, e depara-se com isto:
 
Tudo isto para a tua passagem?? Será um sinal ?

sábado, 2 de agosto de 2014

Estou uma verdadeira Chef de Cuisine "espanhuela"

Paella de marisco by Gaja Maria


Foi ontem

Há muito que não dançava até de manhã nem chegava a casa de sapatos na mão....
Diverti-me à brava com os meus amigos. A única coisa má disto tudo é mesmo o dia seguinte, quando se acorda e se percebe que já não se tem 20 anos...