sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

A minha aliada.

Não caiu dos céus mas veio de outro departamento substituir piquena múmia que está de baixa. Vai daí que Eu e Aliada unimos nossos esforços e juntas engendrados um plano que veio a revelar-se infalível, para que nesta época natalícia múmias encolhessem  as trombas e sorrissem.
Aliada e Eu somos autenticas gémeas siamesas no que toca a gulosidade e obviamente que o nosso plano teria de contemplar algo que beneficiasse ambas e por isso decidimos que a forma de luta teria sabor a doce.
Imprimi o calendário do mês de Dezembro e estrategicamente fizemos uma escala que incluía múmias, chefes e patroa. Iniciamos então a nossa campanha de sensibilização/persuasão. Fomos de tal forma eficazes e convincentes que desde então, todos os dias de trabalho deste mês de Dezembro têm brilhado de tanto sol dentro do Open Space  e ainda mais importante do que isso, é que trombas de múmias mais piquenas e há neste momento  um tema adocicado para comunicamos. Já tivemos biscoitos, bolachas, bolo de chocolate, partilhamos um calendário do Advento e hoje foi a vez da patroa...
Ainda vamos ter bolo de figos, tarte de amendoim, torta de laranja e por aí... É claro que aí pelo Natal parecemos uns perus inchados e estaremos gordinhos e prontos a sermos trinchados e degustados,mas isso não interessa nada, o que interessa é que múmias andam bué de zen...
Digam lá, eu e Aliada somos ou não somos um espetáculo??

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Só se fores uma múmia querida e fofinha... hehehe

      Eliminar
  2. Olha que dica fabulosa!!! Obrigada! Amanhã vou ver se resulta com múmias de outros sarcófagos.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve resultar, não há múmia que resista a um bolinho... hehe

      Eliminar
  3. Gajamiga

    São. Um verdadeiro espectáculo sem entradas pagas. Bué da fixe! :-)

    Qjs

    ResponderEliminar
  4. essa estratégia tem ar de quem frequentou recruta em forças especiais no combate a múmias militantes...bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: