quinta-feira, 21 de julho de 2016

A caixa

Hesitei durante alguns segundos antes de voltar a abrir a caixa.  Abri-a muito cuidadosamente sabendo de cor o seu conteúdo. O relógio dele, aquele que era a sua cara, sóbrio, sensato, robusto e ao mesmo tempo delicado, com bracelete de fino coiro castanho e mostrador doirado. A máquina, essa, parou há três  anos num dia de Julho muito quente e cinzento e cujos ponteiros não mais deram horas desde então. A caneta, gravada com palavras de apreço, oferecida em comemoração e agradecimento por tantos anos de dedicacão e profissionalismo. É  agora minha esta caneta com que ele escrevia as suas palavras naquela caligrafia tão  bem desenhada, tão cuidada e assertiva. Gostava de ter herdado esta sua faceta tão ponderada, tão sensata, mas traçou-me o destino uma natureza espontânea e explosiva que de ponderada não tem muito. E o livro, que me emprestou vezes sem conta, para que também eu aprendesse o que ele já tinha aprendido, cheio de notas escritas com a sua mão, essa, igual á minha mas muito maior, igual no tom de pele, nas sardas acastanhadas e nos dedos bonitos, só que a dele tinha habilidades que nem que eu viva cem anos vou possuir. Fechei e guardei a caixa junto das outras recordações para a voltar a abrir no próximo mês de Julho.

15 comentários:

  1. Dizem que recordar é viver.
    Será que não "morremos" um bocadinho com certas recordações?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que não Homem do leme. Cada uma destas coisas faz-me sorrir e traz-me á memória imagens e momentos bons. Resolvo bem os assuntos e vou guardando-os em caixinhas. De vez em quando abro uma, sempre as das coisas boas :)

      Eliminar
  2. Que bom GM, ter assim recordações.
    Também tenho algumas, poucas, porque o meu pai, partiu cedo demais, mas guardo fotos e alguns apontamentos dele e tenho-o na minha memória para sempre até que um dia, eu parta também. Saudade custa demais, mas é bom quando há boas lembranças.
    Jinho GM boas férias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo Nina, lembranças dos momentos bons ajudam na saudade. Beijinho

      Eliminar
  3. Pegar em objectos que têm uma história associada e retirar deles as recordações bonitas que encerram é um exercício tão fascinante. Se quisermos, trazem-nos felicidade. Se não quisermos trazem-nos nostalgia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Lápis Roido; cada um vive as coisas á sua maneira. Eu apesar da saudade tenho o assunto bem resolvido, recordo com um sorriso os momentos bem passados :)

      Eliminar
  4. Fazem-nos uma falta danada, não é?


    Beijinho Gaja Maria. Em Dezembro abrirei eu as minhas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos temos as nossas caixinhas não é? Beijinho Non

      Eliminar
  5. Lembro-me muito bem desse dia de Julho. Um beijinho Gaja,e um abraço, daqueles muito especiais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dias que nos marcam Loira, depois habituamo-nos a viver com eles :) Beijinhos

      Eliminar
  6. As férias "aprimoraram" as palavras da saudade. Bem vinda de novo, GM

    ResponderEliminar
  7. Que bonitas palavras a descrever a nostalgia de um dia, de uma vida.

    ResponderEliminar
  8. Que bonito ... Confesso que me emocionei. Beijinho

    ResponderEliminar
  9. ***ALERTA GLOBAL E EMERGENCIAS DO VERDADES!!***


    PORTUGAL IS THE BIGGEST, RACIST, ANTI-SPANISH COUNTRY ON THE PLANET!

    I HEREBY ALERT ALL PEOPLE ON EARTH TO NOT BUY FROM PUTUGAL, DO NOT SPEND YOUR HARD, EARNED MONEY GOING THERE AND BOYCOTT ALL PORTUGEE STORES IN YOUR AREA!

    THESE XENOPHOBIC RACISTS HAVE TO LEARN AND THE BEST WAY IS TO BLOCK THEM ECONOMICALLY!
    BE CAREFUL FRIENDS:

    http://portugalisaracistcountry.blogspot.ca/

    ResponderEliminar
  10. belíssima homenagem, gostei pra lá de tanto :)

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: