quinta-feira, 20 de outubro de 2016

São às centenas

Oito pessoas a trabalhar numa sala é coisa para fazer subir a temperatura.
Abrem-se as janelas para fazer circular o ar e todos os dias, aí pelas dezassete e trinta, começa o fandango. A passarada começa a reunir-se nas árvores mesmo ali ao lado, perto das janelas para se aquietarem para a noite...
Oiçam o que para aqui vai com o som bem alto que isto é um ninho de vida digno de ser partilhado.















22 comentários:

  1. Respostas
    1. No video não se vê bem Estudante, mas as árvores parece que têm vida, mexem e abanam com tanto pássaro de roda delas :))

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Sara, o barulho é ensurdecedor, parece que estão mesmo ali dentro da sala. Se passa alguém perto das árvores, calam-se todos, como que em sentido, de seguida segue a cantoria :))

      Eliminar
  3. tenho igual frente à janela da cozinha. são um gangue poderoso. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é fantástico Mia? Não me canso de os ouvir :))

      Eliminar
  4. É a natureza a cantar Gajinha - a vida que borbulha - lindo, lindo, lindo


    Anrejio daqui até aí

    ResponderEliminar
  5. São momentos destes que nos dizem que este mundo ainda é um lugar bonito! :D

    ResponderEliminar
  6. Dizes tu que se estao a preparar para a noite... pois pois... isso aí é uma bela festarola mazé :p

    ResponderEliminar
  7. Adoro ouvir os passarinhos!
    Beijinhos*
    http://confissoespecadora.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. No meu trabalho têm entrado insectos estranhos: melgas gigantes e besouros voadores! É ver os miúdos todos medrosos...Pffffffff...betinhos da cidade!

    ResponderEliminar
  9. Que barulheira GM ;) mas diz lá, até é bom, não? eu aqui quando os ouço gosto :)
    Beijinho GM
    Instagram ∫ Facebook

    ResponderEliminar


  10. ORÇAMENTO PARA 2017
    Daqui dos lençóis do leito matrimonial do 2.º andar Esq. do imóvel n.º 12 da Rua José da Costa Pedreira 1750-130 Lisboa (com todas as taxas regularizadas incluindo o IMI) venho informar-te de que, por mais que te pareça estranho publiquei ontem na NOSSA TRAVESSA – http://anossatravessa.blogspot.pt – um textículo curto sobre os tratos de polé que tem vindo a sofrer o “desgraçado” ORÇAMENTO PARA 2017. Aos abrigos!!!!

    Aguarda-se a todo o momento a chegada de especialista especialmente contratado e em rigoroso exclusivo para resolver de uma vez para todas estas filhas de putice!!!!!!! Entretanto procura-se, morto (de preferência) ou vivo, Blogger com aspecto muito duvidoso – como sempre. Dão-se alvíssaras (em Rupias).

    Henrique, o Leãozão

    ResponderEliminar
  11. Às 17:30 está próximo da saída. O pessoal não começa a fandanguear? :)

    ResponderEliminar
  12. Nessa altura não convém é ficar muito tempo debaixo das árvores. lol
    Mas do que eu gosto mesmo, é de acordar com um rouxinol a cantar.
    Eu, que sou tão esquisito quando durmo (ou tento dormir), estive uma semana num parque de campismo nos Alpes franceses, onde tinha o privilégio de acordar com o canto de um rouxinol.
    Por brincadeira até dizia:
    Era capaz de assinar um contrato de trabalho com o cabrão do pássaro, para ele me ir acordar todos os dias. eheheheh

    ResponderEliminar
  13. Uma big band! Acho que durante a época de caça os pássaros se mudaram para aí, GM, e fizeram bem. :)

    ResponderEliminar
  14. Costumava viver numa casa em que os pássaros faziam esse chilrear ali nasárvores. tALVEZ POR isso tenha estranhado tanto a ausencia de pardais, que não avisto faz anos. Deixei de escutar esse banzé... Nunca me incomodou. Nem quando começava umpouco antes das 6am. É tranquilizador. e se for muito barulho, que se feche a janela :)

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: