terça-feira, 15 de outubro de 2013

A mim assustam-me as palavras...

As palavras, que uma vez pronunciadas erradamente, no momento errado, com o tom errado, podem mudar para sempre o rumo das coisas para onde nós náo queremos.

Contudo, há coisas que precisamos dizer ou fazer e que vamos constantemente adiando por temermos as consequências, por não sabermos se nos vão compreender, por náo sabermos muito bem o que é certo ou o que é melhor para nós, por não sabermos se o risco que vamos correr vai ser ou náo como prevemos, se estamos preparados para ele... E acabamos por não dizer, por não fazer e assim ficamos, a remoer e a imaginar 'se eu fizesse', 'se eu fala-se'' se....

Muitas vezes me calo. Outras, num impulso, acabo por falar, mas quando falo não me lembro do que tinha pensado dizer, não sei escolher as palavras, tão pouco o que pronunciar para atingir o meu propósito. Quando falo, faço-o com o coração, com os olhos muito abertos, com as mãos a ajudar, a voz trémula, a face a transparecer todas as minhas Emoções. Faço-o um pouco nervosa e atabalhoadamente, fazendo sair palavras espontaneamente, tentando transmitir o que sinto e o que penso com palavras, palavras que me assustam....

Há pouco deu-me um impulso...

9 comentários:

  1. Oh minha querida, como eu te compreendo.. especialmente porque também tenho um enorme dificuldade em me expressar. E muitas das vezes falo sem pensar mesmo, e só depois do que foi dito é que posso ou não me arrepender. Mas há coisas assim... fossemos nós todos iguais e a vida seria uma verdadeira monotonia. Força*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois é, devemos ser nós próprios e pronto! Bj

      Eliminar
  2. Não penses demasiado. Os impulsos costumam ser verdadeiros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, os impulsos costumam ser verdadeiros, mas por serem impulsos por vezes acabam por se dizer coisas que depois de pensarmos... oops! É a vida. Bj

      Eliminar
  3. "pensa no que dizes e não digas o que pensas"...é daquelas "cenas" à sabedoria popular, mas às vezes, se não houvesse impulsos, não havia razão para reflexões à poteriori, e momentos mais dinâmicos na nossa vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também conheço esse "cena" à sabedoria popular, nem sempre consigo é pô-la em prática. Sacana de espontaneidade! :D Bj

      Eliminar
  4. Porque às vezes por mais que reflictamos no que pretendemos dizer acaba por sair tudo de uma enxurrada só e só nos apercebemos do que fizemos quando a borrada já está feita. O que vale é que quem gosta de nós compreende que não é por mal, quem não gosta... olha que se lixe!

    ResponderEliminar
  5. Ora pois...eu também tenho o coração perto da boca...sai tudo e outras vezes nao sai nada...Eu acho que vale mais falarmos...mas antes contarmos até 10...just in case!

    ResponderEliminar
  6. Que tenha sido um impulso daqueles que quando acabam nos deixam mais aliviadas.

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: