quarta-feira, 12 de julho de 2017

Livre

Há vinte e oito dias, doze horas e quarenta e três minutos que não fumo. Este era o ano, o do meu cinquentenário, aquele em que eu decidi que iria dar mais uma reviravolta na minha vida. Não foi em Janeiro ou em Fevereiro, muito menos em Março mas foi em Junho, por alturas da grande viagem a Santiago, por alturas da notícia do cancro da mama de duas amigas, foi nessa altura que o clic se deu em mim. Que coisa estúpida fumar! Como podia eu, uma adepta do desporto e da vida saudável....
Não que até fosse uma grande fumadora, mas dois ou três cigarros que fumasse por dia era ser fumadora na mesma e a prova disso é a aplicação que me lembra disso todos os dias. Neste momento poderei ter mais onze horas e meia de vida do que teria se nunca tivesse fumado. Bom, quando morrer, não morro às dez da manhã mas sim às nove e meia da noite, vá. 
Não importa, não importa se vou a tempo de alguma coisa, o que importa é que há vinte e oito dias que estou livre de mais um vício.
Entretanto vou para freira.

22 comentários:

  1. Até podes ir para freira, mas estarás mais saudável e com mais tempo para rezar!! Brincadeiras à parte, temho é de te dar os parabéns por esses 28 dias que se vão multiplicar por muitos mais e com o tempi a tua pele, a tua resistência (apesar de desportista) vão sentir todo esse benefício de seres agora uma não fumadora. Subscrevo que fumar é uma coisa estúpida, nem eu sri porque também o fazia...beijos e continua assim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Dona de Casa, determinada que estou não mais vou retroceder e o meu corpo é carteira agradecem. Além disso já tenho um enorme vício, pedalar eheheh

      Eliminar
  2. Morrer cheia de saúde é o meu lema - também nunca fui grande fumadora - pior ainda fumava apenas de tarde (1 depois de almoço; uns 2ou3 depois de jantar) e de 2ªà 6ª - um dia também me perguntei qual era a graça - comprei um maço, nunca fui de cravar - nunca o abri e já lá vão perto de 9anos. O maço? morreu muidinho no fundo da carteira :~)
    Força míuda, beijoca

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem Non, no fundo é um vício estúpido como o são todos e não passamos sem alguns, mas este é particularmente prejudicial e ainda bem que estou a livrar-me dele. Beijinhos

      Eliminar
  3. Parabéns Gaja! :)

    E acima de tudo, jamais vivas com medo de morrer, pois isso redunda em viver com medo de viver. Vive-te! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Eros. Não queremos todos viver e muito? Façamos por isso :)

      Eliminar
  4. Força! Faz isso pela tua saúde e compra uma coisa gira, com os euros que poupas, para te lembrar dessa tua vitória. Os meu parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Tulipa Negra, acredita, só o facto de não ter esta dependência já me faz mais feliz :)

      Eliminar
  5. Muito bem. Parabéns. No início de casada, meu marido, gostava que eu fumasse. Ele era fumador, e naquela época pelo menos em África era chique. Eu tentei. Fumei duas ou três vezes, mas não conseguia tragar o cigarro. Desisti. E hoje estou muito contente por não ter conseguido. Ele fumava e muito. Aos 45 anos teve um problema de saúde, a hemoglobina estava a 18, e o cardiologista, disse que se não parasse de fumar, sofreria um AVC em menos de seis meses. Ele parou no mesmo dia. E vai a caminho dos 75 anos.
    Força. Nenhum vício é maior do que a nossa vontade.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, a maioria das pessoas só deixa de fumar quando apanha um susto a nível da saúde, mas a nossa cabeça é que manda e quando ela manda, consegue-se.
      ABraço

      Eliminar
  6. A vida é uma coisa muito incerta, mas tenho a certeza que os teus pulmões vão te agradecer!
    Parabéns :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Shinobu, ainda vai demorar até serem repostos os níveis pulmonares normais, mas nunca é tarde :)

      Eliminar
  7. Excelente decisão, GM!
    Com tudo o que se sabe hoje em dia sobre os malefícios do tabaco deveríamos conseguir erradicar o hábito, sobretudo nos jovens. Faz-me muita impressão quando passo junto às escolas e vejo miúdos, do secundário, a fumar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade Luisa, assusta ver crianças a fumar, nem sabem o mal que estão a fazer a elas próprias. Quando os meus eram pequenos nunca fumei à frente deles, não quis servir de alguma forma de exemplo e agora faço questão de lhes dizer que parei e que me sinto muito bem :)

      Eliminar
  8. Excelente - parabéns! Deu o primeiro passo, agora... basta "caminhar" :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Carlos, espero nunca ter uma recaida :)

      Eliminar
  9. Livre de mais um vício não é igual a livre de todos ou quase todos. É mau remédio ser freira:).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não Bea, mas este é particularmente nocivo, além disso as freiras também devem ter vícios :))

      Eliminar
  10. Entretanto vou à feira soará melhor, não?
    Os vícios reciclam-se, substituem-se, senão, a gente morre estúpida.
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Agostinho, reciclam-se, substituem-se, deste sempre me quis livrar, outros que tenho deixo-os estar para não morrer estúpida :)))

      Eliminar
  11. Já aproveitei para mostrar este post ao outro morador cá de casa, a ver se ele se inspira neste bom exemplo (;

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fizeste bem Sofia, esté vício particularmente não precisamos dele para nada. E olha que não está a custar tanto como eu estava à espera, quando a cabeça manda, o corpo obedece :))

      Eliminar

Quem quer pensar comigo: