segunda-feira, 7 de maio de 2018

Dualidade


Sento-me no fundo da sala panorâmica frente ao mar e um pouco afastada de todos observando os pequenos grupos que se vão formando por entre aquele grupo maior. Observo alguns, saltitando de grupo em grupo, conversando, rindo, perguntando, dizendo, lembrando histórias do passado e não querendo perder pitada, bebendo de tudo e de todos, absorvendo e dando-se de corpo e de alma cheios de certezas e de palavras. Eu observo, ora a vista do mar, ora as pessoas e aquele saltitar tão caraterístico daquela família. Engraçado como me sinto tão de outra.  Sinto-me estranha, deslocada, até um pouco desassossegada. Observo de novo a vista e regozijo-me por ser quem sou, por apreciar o mar e o sol, por ver rios em montanhas secas, por saber apreciar silêncios, meus e dos outros, mas depois fico insegura e penso como me verão os outros, talvez uma antipática com mania de importante, uma alienada familiar e resolvo juntar-me a um dos grupos. Nessa altura já todos estavam de partida para outros grupos e eu fico de novo sozinha, desarmada. Vagueio pela sala. Ainda nessa manhã me reconheceram a cara chapada de meu pai com quem de facto me identifico em todas estas características incluindo a física e já estavam a jurar a pés juntos que era igualzinha à minha mãe. Perdi-me então de novo na minha identidade sentando-me e descalçando os saltos altos por baixo da mesa para que ninguém visse que até nisso a minha família é outra. No fundo sinto-me feliz por nenhum dos meus filhos ser assim, como eu…

21 comentários:

  1. Vi-me por aí, num qualquer local onde veja bem, e seja mal vista (salvo seja). Ajuntamentos e grupinhos sempre me deixaram muito desconfortável, desde miuda.

    Beijo em TU
    Pés ao léu é a minha onda ahahahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não estou sozinha nisto já vi :) As nossas almas são irmãs.
      Beijocas e pés ao léu. Vem aí o calorrr :))

      Eliminar
    2. Já lhe escancarei a porta :-)

      Eliminar
  2. Gostei de ler - gosto de textos assim, com "gente dentro"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Carlos, são os sentimentos à flor da pele :)

      Eliminar
  3. Boa tarde, gostar de quem é como é, é perfeito, cada um é como é, só nos aceita quem quer, assim, a preocupação para com os outros, se nos acham isto ou aquilo, não tem razão de existir.
    Feliz semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não tem AG, assumirmo-nos em pleno é o que deve ser.
      Boa noite AG

      Eliminar
  4. Sê feliz como és, do teu jeito
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faço por isso Magui. E todos somos diferentes uns dos outros e assim é que deve ser :))

      Eliminar
  5. Gostei de ler. E quase me revi isolada nessa sala pejada de gente.
    Abraço e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, era como se estivesse a voar sobre mim própria :)
      Abraço

      Eliminar
  6. Também sou um pouco como tu e gosto muito de mim assim ;) sou feliz e isso basta me.
    Continua assim que és linda pessoa ;)

    Beijinhos GM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredita Mena, apesar de tudo isto também gosto de ser como sou. Sinto paz e tranquilidade assim :) Não preciso de mais
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Para mim, estar mais ou menos integrada também tem os seus dias e há dias em que só quero mesmo é olhar o mar. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É caraterística das mulheres, terem dias. Acho que muitas de nós somos assim :)

      Eliminar
  8. Muitas vezes senti-nos sós no meio da multidão....e muitas outras, também nos, senti-nos deslocadas no meio de um grupo....
    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos nós somos diferentes Isa, mas é sempre importante que nos sintamos bem embora por vezes seja inevitável este tipo de coisas :)

      Eliminar
  9. Identifiquei-me :) é bom ser assim. Apreciar as pequenas coisas, ver a natureza, reflectir...
    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Just a Lady, nem sempre é bom, parece que nunca pertencemos a lugar nenhum :)
      Beijinho

      Eliminar
  10. :)
    Como te compreendo, GM!

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AC, nem todos compreendem este meu lado e para mim é difícil por vezes contorná-lo. Uns dias assumo-o, outros escondo-o
      Abraço :)

      Eliminar

Quem quer pensar comigo: