terça-feira, 3 de março de 2015

Histórias II - Acompanhante

Dirigiu-se ao cacifo apressada, tirou a bata, descalçou as botas de biqueira de aço, enfiou tudo lá dentro, pegou no casaco e na mala, despediu~se das colegas e saiu a correr. Estava ansiosa por chegar a casa, tomar o seu duche relaxante, despir-se daquele cheiro, daquela personagem e pôr o seu perfume. Assim que chegou ao carro, olhou o nome na agenda e esboçou um sorriso.
No caminho para casa foi pensando em como tinha tanta sorte em ter conseguido aquele turno, assim podia dormir de manhã antes de voltar ao trabalho que a noite ia ser longa.

Já em casa e enquanto mordiscava uma maçã abriu o roupeiro. A sua melhor lingerie, preta, como ele gostava, o vestido cor de beringela, aquele que melhor lhe acentava, o decote evidenciava-lhe o peito firme e a cor fazia sobressair os seus olhos cor de avelã e a sua pele cor de pêssego. Afinal era o seu melhor e mais assíduo cliente, aquele, o único que lhe retribuía o prazer que ela lhe dava. Sentia até uma certa afeição, um gostar tremelicante, uma fraqueza nas pernas quando ia ter com ele, mas sabia, ela sabia que não podia ir além disso. Se ultrapassasse aquela ténue linha, aquele muro invisível, aquela ponte sem retorno, perder-se-ia para sempre, não haveria volta...

Tomou o seu banho, calmamente, deixando correr a água pelo corpo revigorando-o e passou o creme hidratante. A depilação estava impecável, as unhas também, as sobrancelhas no seu melhor que ainda ontem cuidara delas. Maquilhou-se e penteou-se como se de uma profissional se tratasse, aliás, ela já tinha sido profissional nessa área, mas trabalhava demasiadas horas, não dava para conciliar e ela queria dinheiro, esse vil metal que lhe permitia obter certas mordomias. A lingerie, as meias de seda, o vestido, os sapatos de marca e a mala igual. O casaco, faltava o casaco, de fina fazenda de um costureiro nacional conhecido. Olhou-se no espelho, deu uma volta. "Perfeito"!
Ela sabia que era a melhor, a mais bonita, a mais elegante, a mais meiga, aquela que todos queriam.

Dirigiu-se então ao restaurante combinado onde ele a esperava para jantar e começou o ritual, o jogo que gostava de jogar, o da sedução. Depois seguiram para o hotel, descalçaram-se e esticaram-se na cama, ele hoje queria conversar. E durante duas horas ele falou, falou e ela afagava-lhe o cabelo, dava-lhe a mão e ouvia...
Entretanto ele calou-se, olhou-a nos olhos e começou a desapertar-lhe o vestido, chegou a hora de ela lhe dar prazer.

Ao chegar a casa, pôs a mão na mala para procurar a chave e tocou no envelope. Aquela noite rendera-lhe 200 Euros. 200 Euros!! O carro já estava pago, a casa comprada, mobilada e a ser paga, tinha jóias verdadeiras, um telemóvel topo de gama. Tinha roupas e sapatos de marca,  frequentava os melhores restaurantes e hotéis, andava nos melhores carros, mas tudo isto só podia usar à noite claro, quem iria compreender aquelas coisas com um salário de operária. 

Enfiou a chave na porta de casa e abriu-a, uma casa linda porém escura, fria, sozinha, desprovida de calor humano. Não tinha amigos, quase não tinha ninguém, nem sequer um gato no sofá à sua espera. Tinha tudo, mas não tinha nada, valeria tudo aquilo a pena? Ela não passava no final de contas de uma prostituta de luxo...

Ah! Tinha algo, tinha uma bata e umas botas de biqueira de aço dentro de um cacifo à sua espera amanhã.
Deitou-se exausta e dormiu.

14 comentários:

  1. Excelente história! O preço do luxo, esquecendo que há "luxos" que não têm preço.
    Beijinhos e um bom dia para ti

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E há pessoas que fazem tudo para os nem olhando a meios e no fundo são tão pobres.. Beijinho e um bom dia :)

      Eliminar
  2. Gostei da primeira! Gostei da segunda!
    Keep on going ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Té, da-me goso inventar histórias mas são textos demasiado longos, a maioria das pessoas nem lê, beijinhos e um bom dia :)

      Eliminar
  3. Temos escritora! Quando lançares o teu primeiro livro eu quero um convite para a primeira fila! Combinado?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)) és tão querida Sónia, beijinho

      Eliminar
    2. Não sou nada querida... Isto é mesmo a sério!

      Eliminar
  4. Já tinha ficado completamente rendida à primeira história, mas esta arrebatou-me por completo. Os melhores luxos da vida definitivamente não se podem comprar!
    Fico à espera (ansiosa) pela história III.
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  5. Onde está a história I, que me escapou?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://pensamentosdeumagaja.blogspot.pt/2015/02/demencia.html
      Chama-se Demência e postei no dia 18 :)

      Eliminar
  6. Está cada vez melhor, de história em história, continua Gaja, continua que estamos a gostar!
    E sim, o dinheiro não compra tudo na vida e os bens materiais não nos aquecem o coração!

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: