terça-feira, 17 de novembro de 2015

Sem título

Dez horas.
Finalmente cheguei ao sofá, abri o blog e uma página em branco para escrever. Caramba, tanto espaço para tantas letras e não tenho nada para dizer. Hoje não se passou nada de especial, não pensei em nada de grandioso, não disse nada de espetacular, ninguém me disse nada de interessante, o mundo não explodiu, não me aconteceu nada engraçado, não tive azares nem sortes. Não, nada a dizer...
Bom, pensando bem, podia até dizer que estava um nevoeiro cerrado quando fui para o trabalho e que começou a dissipar-se ao longo do caminho, deixando-se ser atravessado pelos raios de sol mostrando-me uma imagem linda. Podia também dizer que o meu dia foi super produtivo, e que tinha tanto que fazer mas consegui dar conta de tudo, trabalhando sob stress eficazmente de forma a conseguir estar despachada ás 18 para ir ao ginásio e ainda vi o pôr do sol da vidraça do gabinete. Também podia dizer que estava com tanta energia que fiz duas aulas seguidas de cycling sem sequer parar durante o intervalo e podia ainda dizer que fiquei muito feliz quando cheguei a casa e o marido tinha feito o jantar. Tantas coisas boas que o meu dia me trouxe...
Ah! E afinal tenho uma coisa para dizer. Não há casas, não há carros, nem roupas de marca, nem sapatos, nem ouro, nem férias paradisíacas, nem fama nem sequer todo o dinheiro do mundo que paguem o estarmos vivos e termos saúde.

20 comentários:

  1. Ultimamente e exatamente isso em que acredito:nao há nada que pague a vida e a saúde. Sem isto tudo o resto não acontece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso sim é o nosso euromilhões. Vida e saúde. E nos tempos que correm podemos dizer que é mesmo uma benção :)

      Eliminar
  2. E não tinhas nada para dizer, olha se tivesses?

    ahahahahah

    Boa noite GM
    Pelos vistos até a enxa_queca passou, num dia em que não aconteceu de interessante, importante, fantabulástico etc etc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No fundo, basta olhar com olhos de ver. Muitas vezes há coisas que nos passam ao lado mas se estivermos atentos, vêmo-las muito claramente. Beijinho Noname ;)

      Eliminar
    2. E foi o que fizeste, e saiu-te um post bem bonito

      Eliminar
    3. Por falar em olhar com olhos de ver, só agora vi que o post não tinha título :)) Continua sem

      Eliminar
  3. Bem, eu só digo a sorte que temos em ter o dedo grande do pé a mexer.
    Kis:=>)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O dedo grande do pé e mais qualquer coisita vá :)))

      Eliminar
  4. É verdade! saúde essa palavra que nunca ou quase nunca se lembramos, mas que é o mais importante. Qual euro milhões qual quê? sabes que quando se trabalha em hospitais, se olha para o lado e vê tanta miséria, tanta desgraça, tanta gente que só pede, não ter dores,poder andar sem ajuda, poder viver uma vida com dignidade, uiiiiiiiiiiiiii amiga, aí a gente vê!! e não é necessário trabalhar nesses sitios, às vezes basta olhar em nossa volta, no nosso bairro, no nosso prédio, nos nossos amigos, na rua, sei lá. Hoje ía na rua e vi um sr novo de cadeira de rodas a andar num passeio e como sabes, neste país nada está preparado para deficientes motores, mas dizia eu, esse sr ia no passeio e queria atravessar, eu estava parada num cruzamento à espera de vêz, reparei que o transito em sentido contrário estava a parar, parar porque mais acima havia uma passadeira para a qual o tal sr queria ir, mas tava dificil por a altura dos passeios. Então do primeiro carro saiu o condutor, nisto já tudo se tinha apercebido do que se estava a passar, saiu um outro sr e foram os dois ajudar o sr deficiente. Eu fiquei emocionada, mas feliz por ver que ainda há pessoas boas. E o sr lá foi e nós também, É nestas alturas que damos valor à vida e ao que temos.
    Desculpa a extensão do comentário :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pequenos pormenores que de tão ocupados que andamos nem damos por eles. Em momentos como esse é que nos apercebemos do bem que temos e que tantas vezes desvalorizamos que é ter saúde e viver. O resto são peanuts.
      Beijinho Nina

      Eliminar
  5. Mas olha que gosto muito quando não tens nada para dizer :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por vezes basta-nos olhar para dentro...
      Beijo Imprópria

      Eliminar
  6. "duas aulas seguidas de cycling"??? Ok, vou só ali morrer de vergonha por estar de rastos com uma hora de zumba. :)

    Agora a sério. Tens toda a razão. Ter saúde não tem preço.

    ResponderEliminar
  7. Tens razão, nada que pague estar vivo e termos saúde.
    Adorei ler-te e acredita, foi bálsamo para mim.
    Beijinho.:)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Semblante :)
      Ando numa de positivismo. Beijinho :)

      Eliminar
  8. terminou dizendo tudo: "Ah! E afinal tenho uma coisa para dizer. Não há casas, não há carros, nem roupas de marca, nem sapatos, nem ouro, nem férias paradisíacas, nem fama nem sequer todo o dinheiro do mundo que paguem o estarmos vivos e termos saúde."

    Beijinho*
    MR<3

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: