quinta-feira, 3 de novembro de 2016

O talho da Almerinda

Para ir ao talho da Almerinda é preciso um enorme auto controlo pois assim que lá entramos os nossos olhos entram montra adentro e querem tudo, tal qual as crianças na rua das gomas e dos chocolates num super mercado. Quase me apetece fazer birra para trazer tudo. 
Nunca vi um talho assim, só não tenho é lata suficiente para tirar uma fotografia para vos mostrar e perceberem do que falo. Sim, carne é carne, mas a montra é decorada como se da montra da Tiffany's se trata-se. 
Das peças de cabrito, porco ou vaca, até mesmo o belo do frango, todos dispostos em filas, separadas ao milímetro e envolvidas em celofane, às filas de chouriços, alheiras e morcelas, tão lindas,  tão formosas, tão rechonchudas, parecem todos autênticos diamantes. O nosso olhar desvia-se então para os pré-preparados, feitos pelos donos ali mesmo do outro lado do vidro à nossa vista, dispostos por cores e feitios, parecendo pulseiras e brincos do mais puro ouro amarelo ou branco. Cogumelos gigantes recheados de farinheira, pimentos vermelhos e courgettes com carne picada e especiarias, lasanha de aves, ai a lasanha de aves, rolos de carne recheados de tudo o que possam imaginar, espetadas super originais, rojões... São rubis e safiras, com uma ametista aqui e ali a fazer contraste.
Acreditem, até as orelhas e os pés de porco parecem lagostas com colares de pérolas.
Para quem passou anos de castigo por não comer isto é, digamos, sui generis, mas não é por acaso que Mamãe me dizia que eu devia era ir à tropa para aprender a comer. Não fui, mas estive alguns anos a estudar longe de casa, aprendi a gostar de comer.

14 comentários:

  1. O nome faz toda a diferença. Fosse ele o Talho do Jaquim e era ver tudo virado de pernas para o ar e as moscas a guardarem a dobrada, quais seguranças pessoais. Gaja é gaja e acabou! =P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca vi mesmo um talho assim Lápis, ainda mais numa terra tão pequena. Todos impecavelmente fardados, barbas feitas, cabelos curtos, tudo num brinquinho. Almerinda deve ser a matriarca, mas aquilo é um staff enorme, talvez família e a maioria são Jaquins. E que Jaquins jeitosos a meter a mão na carne. ehehe dá gosto lá ir

      Eliminar
    2. "Jaquins jeitosos a meter a mão na carne" Ahahah! Aqui por casa estamos com gastroentrite, mas adoro o talho da almerinda sou fã (e a familia alargada também e até o pisco come) de todos os rolos de carne picada recheados, então se for com legumes e farinheira, Deus no acuda!

      Eliminar
  2. ahahahahah
    A Ti Almerinda a dar-te a volta ao miolo e cabo da carteira

    Beijocas e uma morcela :=))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes crer Non, cada vez que lá vou é uma desgraceira :))
      Ai a morcela! Uma delícia :))

      Eliminar
  3. Tudo isso foi para me fazer crescer água na boca?
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Olha que ver lagostas com colares de pérolas em pés de porco é coisa de poeta :)

    Um beijinho, GM

    ResponderEliminar
  5. Ahah, a tua descrição ficou incrível na minha cabeça. Viva a originalidade :)

    ResponderEliminar
  6. Ui!! Essa descrição deixou-me a salivar!!

    ResponderEliminar
  7. fiquei cá com uma fome... isso nã se faz :)

    ResponderEliminar
  8. Uhmmm... Que vontade de ir ao talho da Almerinda... que sorte poder ter um serviço de qualidade perto de si! Beijinhos Serena

    ResponderEliminar
  9. Até fiquei com vontade de ir ao talho da Almerinda. Se houvesse por cá um franchising... :)

    ResponderEliminar
  10. E eu que ando a deixar de comer carne de vez.....

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: