quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Dúvidas

Há  já  algum tempo que vai não  vai se me aflora aqui uma dúvida  para a qual tenho intensivamente e por conta de certas pesquisas e observações, procurado uma resposta sem chegar a uma conclusão conclusiva.
Quando  em conversa, aliás, mais monólogo do que conversa com alguém, esse tal dito alguém, repete a história, o acontecimento, o pensamento, o pedido, a instrução muito ao pormenor, depressa ou devagar, não interessa, aliás, até  interessa, que devagar dá vontade de arrancar os cabelos, mas o alguém repete umas três vezes seguidas a mesma coisa com as mesmas palavras e algumas vezes com variantes. Qual será  mesmo a verdadeira razão?
Para ouvirmos mesmo bem.
Para que não tenhamos dúvidas.
Porque gostam que lhes prestemos atenção
Para nos observarem enquanto ficamos verdes dos nervos
Porque gostam mesmo de falar
Porque não querem que nós  falemos
Porque são muito chatas
Porque se acham as maiores
Alzheimer
Todos os motivos anteriores
Nenhum dos motivos anteriores
Existirá algum estudo que me possa elucidar?

19 comentários:

  1. Explica-me, isto são dúvidas aleatórias ou existe algum tipo de fio condutor? :)) somente para eu me situar :)

    ResponderEliminar
  2. Ummm! Agora fiquei com mais uma dúvida :)))) Visto que tres pessoas que eu conheço partilham este dom da repetição, será que o fio condutor sou eu??? Eheheh

    ResponderEliminar
  3. Eu só tenho a dizer-te que: Antes dúvidas que Dívidas

    ahahahahah

    Abreijo Gajinha

    ResponderEliminar
  4. Deus ma livre Noname, dívidas! Ainda me aparecia aqui o homem do fraque :)))
    Jinhos

    ResponderEliminar
  5. Podem achar que és burra e que não percebeste à primeira... ou à segunda!!

    ResponderEliminar
  6. Desconfio que sejam todas as opções e mais alguma, que nós desconhecemos por completo! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nina, Poderá não ser defeito e sim feitio. É ver a coisa pela positiva, assim nem preciso de falar e vou econimizando palavras que andam escassas por aqui :))

      Eliminar
  7. Não tem nada que saber. Adoram ouvir-se e não são repetitivos, não, são mesmo obsessivos. E centrados no seu próprio umbigo.

    (agora irei repetir isto 3 vezes não se vá dar o caso de não teres entendido, afinal preciso de tempo de antena!)

    ( hahahahaha)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahah Ava, finalmente entendi, ás três é de vez :))

      Eliminar
  8. Ó Gaja com essas pessoas não dá para tirar conclusões conclusivas :)) ignora-as se poderes, se não vais ter que te habituar :(

    ResponderEliminar
  9. Só ouvem uma voz... A deles!
    Não perca tempo...

    ResponderEliminar
  10. Olha Gajita é caso para estudo . encomenda aos letrados de Harvard que passam o dia de nariz metido na biblioteca, eles hao-de te ajudar
    Kis:=)

    ResponderEliminar
  11. Conheço algumas pessoas assim... acho que é uma mistura de um pouco de tudo que dizes... ehehe ;-)

    ResponderEliminar
  12. Quando souberes a razão, vem a correr me contar!
    Também gostava de entender.

    ResponderEliminar
  13. Sabes, Gaja, creio que não há estudo nenhum que "amorteça" o impacto de pessoas deste calibre. Fizeram-se à morteirada, e à morteirada hão-de estoirar.

    Uma boa semana :)

    ResponderEliminar
  14. Olha, eu normalmente tenho que repetir pro-me-no-ri-za-da-men-te as instruções que dou umas 4 ou cinco vezes...
    ...e mesmo assim, quando volto as costas, ainda há duvidas, que normalmente só se manifestam ao telefone depois de eu ter saído de junto da pessoa...

    ...e isto acontece tantas, mas tantas, mas tantas vezes que acaba por se tornar defeito profissional!

    Depois, como a inteligência das pessoas não lhes está estampada na cara, mais vale prevenir que remediar...

    :)

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: