quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

A TV

Não sei bem precisar o ano mas abrindo as gavetas da minha memória, sei que foi no ano seguinte á revolução de Abril ou no outro. Em uma dessas gavetas também, vejo-me criança ainda na escola primária, estava calor e eu passava a tarde em casa. Lembro-me que não estava de castigo, pois a muito custo lá tinha comido a sopa. Eu nunca tinha fome e nunca queria comer, passava muitas tardes de castigo sentada á mesa até que chegava a hora do lanche e eu lá comia pão com marmelada. Aí era devolvida á minha liberdade mas sempre com o sentimento que no dia seguinte teria de comer.
A tarde ainda ía a meio quando ouvi o carro de meu pai chegar. Do alto da minha inocência pensei porém que tal não era habitual e que provavelmente não seria bom sinal, reparei no entanto minha mãe a olhar de soslaio para mim com um sorriso nos lábios sem que eu percebesse, pensava ela. Menos mal.
Corri lá fora e já meu pai tirava uma grande caixa da mala do carro dirigindo-se para a sala. Retirou a televisão do móvel onde se encontrava e cuidadosamente foi abrindo a caixa. Tirou de lá uma nova TV colocando-a meticulosamente no lugar da anterior. Enquanto eu dava pulinhos de roda deles fazia mil perguntas ás quais ninguém me respondia. Por que raio teriam comprado uma nova TV se aquela ainda estava boa? Com movimentos vagarosos mas certeiros e carregados de perícia, como em tudo o que metia as mãos, meu pai ligou o aparelho á tomada, ligou, sintonizou.... Era uma televisão a cores! A primeira da minha rua e um aparelho do futuro de que todos falavam e desejavam um dia possuir. Saltei, gargalhei, abracei os meus pais tanto mas tanto que quase os esganei. Minha irmã apareceu vinda do quarto e juntou-se á festa. Meus pais não cabiam em si  á conta da felicidade que nos tinham proporcionado.
No dia seguinte e nos outros, toda a garotada da rua ía lá para casa ver os desenhos animados a cores até que um após outro todos foram tendo também a sua própria TV a cores.

14 comentários:

  1. Curiosamente é um momento que também me lembro com pormenores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É engraçado porque hoje em dia é tudo tão diferente e toda a gente tem tudo que nem se dá valor a nada :)

      Eliminar
  2. Bons tempos, Gaja. As novidades, na altura, ainda davam para usufruir uns tempos, agora é de um dia para o outro que as coisas mudam. Pensamos ter comprado a última novidade e, quando acordamos no dia seguinte, já estamos ultrapassados. Ná, embora seja conveniente estarmos a par do progresso, não me parece que o bem-estar interior passe por aí, mais a mais com tanta vida lá fora a chamar por nós.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, hoje nem ligo nada á TV, mas na altura, quando poucas coisas havia, tudo o que se conseguisse era uma enorme felicidade. E concordo, há tanta vida lá fora a chamar por nós.
      Beijinho AC :)

      Eliminar
  3. Percebo a emoção. Tinha quase 15 anos quando meus pais compraram um rádio a pilhas, daqueles grandes, que haviam na época. E foi uma alegria enorme. Até aí nunca tínhamos tido música em casa. Melhor, o meu pai, tinha construído uma pequena galena, que dava música com uns auscultadores. Mas só dava para um de cada vez.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como as coisas mudaram tanto em alguns anos não é? Por um lado isso é bom, mas por outro, mudou-nos alguns valores e prioridades para pior.
      Beijinho Elvira :)

      Eliminar
  4. E hoje temos uma tv em cada divisão da casa e ninguém tá contente. Também lembro desses tempos e eram bem bons, comparados com os de hoje.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade Nina. E depois briga tudo para o monte porque todos querem ver coisas diferentes na sala :))))

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Glup!!! Fui descoberta, ando a mentir na idade :D :D : D

      Eliminar
  6. Lembro-me da nossa primeira tv a cores também de forma fotográfica, perguntaram-me o que queria no meu 4 aniversário: uma tv a cores ou uma bicicleta. Eu pensei que se fosse a tv, todos em casa podiam ver, e assim foi. Pena que nunca tive foi a bicicleta...mas da tv não me esqueço, uma Salora de caixa de madeira escura.

    ResponderEliminar
  7. Belas recordações a cores que foste buscar aos arquivos :)

    ResponderEliminar
  8. É engraçado pensar que coisas às quais agora não ligamos nada já foram tão preciosas (=

    ResponderEliminar
  9. Tem piada... Também me lembro com exatidão do dia em que a televisão a cores chegou lá a casa, e foi também com o meu pai...
    Belas memórias...
    :D

    ResponderEliminar

Quem quer pensar comigo: